ITAITUBA/PA - É DE MINHA MÃE QUE VEM AS MINHAS FORÇAS. SAUDADES ETERNAS!


A ex-vereadora e ex-deputada estadual Terezinha da Silva Sussuarana (in memoriam), nasceu na cidade de Santarém, Oeste paraense, em 29 de maio de 1939, filha de Sebastião Silva e Aurina Carneiro de Freitas. 

De origem bastante humilde, estudou o antigo primeiro e segundo graus no Colégio Santa Clara; depois, formou-se Técnica em Contabilidade e posteriormente, em Pedagocia e Licenciatura em Ciências Naturais (Matemática) pela Universidade Federal do Pará-UFPA nas primeiras turmas disponíveis para Santarém.

Foi professora por longos anos dos Colégios Estaduais Rodrigues dos Santos (antiga Escola do Comércio) e Álvaro Adolfo da Silveira. Também lecionou na Escola municipal que ficava na travessa do Madre, esquina com a rua Mendonça Furtado, e que naquela época era conhecida como Grupinho. Esta brilhante professora santarena, diante de sua grande garra, ingressou na carreira política com 31 anos, no MDB, partido político oposicionista ao Regime Militar, e em momento bastante conturbado da política nacional.

Foi casada com Cláudio José Rocha Sussuarana, com quem teve 8 filhos. 

Exerceu o cargo de vereadora por três mandatos, de 1970 a 1978, e, com ampla aceitação de seu nome, foi eleita deputada estadual no pleito de 1978, com 7.024 votos; foi empossada em 01/02/1979.

É importante salientar que nesse período em que foi vereadora, não havia salário, subsídio, ou qualquer ajuda de custo para se exercer a vereança, sendo o salário para vereador criado em 1977 pelo presidente Ernesto Geisel,  para obter apoio político nos municípios. O problema é que, a partir daí, as vantagens, mordomias e reajustes foram se multiplicando e, hoje, o cargo de vereador dá direito a uma razoável remuneração mensal. “Virou profissão”.

Diante de seu conhecimento sobre a educação, foi nomeada membro das Comissões de Educação, Saúde e Assistência Social; de Turismo, Certames e Esportes; Redação e Leis. 

Através da portaria nº 141/1979, a ALEPA a nomeou para ser a representante do legislativo paraense no Círio de Nossa Senhora de Conceição de novembro de 1979. Em 1981, foi designada vice-líder da bancada do partido Movimento Democrático Brasileiro-MDB. 

Enquanto muitos procuravam armas para ‘defender’ a democracia, a professora Terezinha Sussuarana encontrou nas palavras, na coragem, na bravura, nos atos e gestos, a forma de combater o estado de exceção que se vivia na época. 

A professora Terezinha honrou, não somente Santarém, mas o Pará, atuando de forma ética e aguerrida na defesa dos interesses de seus concidadãos.

Como parlamentar estadual, teve a iniciativa de várias propostas e proposições apresentadas na ALEPA, com destaque para o Projeto de Lei que obrigava a inclusão das disciplinas História do Pará e Ecologia no ensino do primeiro grau.
A imagem pode conter: 13 pessoas

Como patrimônio financeiro, deixou dois imóveis: um na capital paraense, financiado pela COHAB findo em 2007 e outro em Santarém, local de sua residência. Porém, deixou um elevado patrimônio moral e ético, principalmente aos filhos e netos.

No dia de hoje, se viva estivesse, estaria completando 81 anos de idade.

Texto adaptado de postagem do Jornal O Impacto

Postar um comentário

0 Comentários