COVID-19 - PREFEITO DE SANTARÉM/PA AFIRMA QUE PREFERE BUZINA A CHORO DE ENTE QUERIDO


Nélio Aguiar
Nélio Aguiar: “Prefiro mil vezes ouvir o barulho das buzinas, do que o barulho do choro da perda de um ente querido”

O prefeito Nélio Aguiar utilizou as redes sociais para denunciar que recebeu ameaças, após decisão do Comitê de Crise, que determinou a implantação do lockdown em Santarém.

“Após a decisão do lockdown recebi ameaças e intimidações, invasão do status do WhatsApp. Vejo dezenas de revoltados, indignados, fazendo barulho com buzinas. Prefiro mil vezes ouvir o barulho das buzinas, do que o barulho do choro, o grito da dor da perda de um ente querido pela covid-19”, desabafou Nélio.

O chefe do executivo santareno, desde o início da pandemia trabalha arduamente, em parceria com outras instituições, visando reduzir os números dos infectados pelo coronavírus. Porém, diante da baixa adesão de parte da população das medidas de prevenção, entre elas, o isolamento social, e considerando ainda o exponencial aumento de casos e óbitos registrados nos últimos dias, e consequentemente o colapso da estrutura das unidades de saúde, não teve outra alternativa, a não ser, optar pelo lockdown.

Ainda nas redes sociais, a decisão foi recebida de forma positiva por muitos santarenos, que apoiaram a medida, que é a orientação das autoridades de saúde, bem como possui pesquisas recentes sobre a sua eficácia na contenção e achatamento da curva de contaminação.

Em resumo, o lockdown é aconselhado por médicos e especialistas, por salvar vidas, freando a transmissão comunitária, dando
fôlego na ocupação de leitos das UTI’s, evitando assim, o colapso no Sistema de Saúde.

A medida foi adotada em vários países que estão reabrindo comércio, porque decretaram lockdown no momento certo.

É consenso entre os especialistas que,
quanto maior o engajamento da população, menor o tempo de lockdown.

Portanto, a medida é extrema, porém, necessária neste momento, para que quanto antes, os santarenos possam retornar às atividades.

RG 15 / O Impacto

Postar um comentário

0 Comentários